Esporte

Após medo de rebaixamento por punição, Batatais jogará a Série A-3

Punição, que terminaria em abril, agora acaba em janeiro; ex-técnico e ex-jogador são absolvidos


Da Redação | 29/10/2019 | 11:52


Batatais corria o risco de ficar fora da Série A-3 do Paulista em 2020, mas pena menor permitirá disputa | Foto: B24h

A Justiça Desportiva reduziu a pena imposta ao Batatais por envolvimento num caso de manipulação de resultados em jogos disputados neste ano, o que permitirá que o clube dispute a Série A-3 do Campeonato Paulista do ano que vem.

A pena inicialmente imposta era de 240 dias de suspensão, que terminaria apenas em abril do próximo ano, o que inviabilizaria a participação da equipe na Série A-3, que começa em janeiro.

Mas, na sessão desta segunda-feira (28), a Justiça Desportiva reduziu a pena, que agora terminará no dia 9 de janeiro, permitindo a participação da equipe na competição, que terá início no fim de semana de 26 de janeiro.

Além da suspensão inicial por 240 dias, o Batatais tinha sido condenado a pagar uma multa de R$ 70 mil por infringir o artigo 239 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva). O valor da multa baixou para R$ 50 mil --mas não deixa de ser um obstáculo a um time que tem mais de R$ 2 milhões em dívidas.

O artigo pune quem deixa de “praticar ato de ofício, por interesse pessoal ou para favorecer ou prejudicar outrem ou praticá-lo, para os mesmos fins, com abuso de poder ou excesso de autoridade”.

Embora pesada, a pena poderia ser até maior, chegando a 360 dias de suspensão e a R$ 100 mil de multa.

O clube ainda foi absolvido de uma denúncia suspeita de infração ao artigo 243-A (atuar, de forma contrária à ética desportiva, com o fim de influenciar o resultado de partida, prova ou equivalente).

ABSOLVIÇÃO

Além do Batatais, tinham sido punidos em setembro o secretário do clube, Paulo Cesar Garbellini (multa de R$ 1.000 e suspensão de 230 dias por infringir o artigo 239) e o ex-técnico Thiago Oliveira (mesmo artigo, multa de R$ 1.000 suspensão de 120 dias, além de infringir o artigo 243-A, com multa de R$ 1.000 e suspensão de 6 jogos).

Já o atleta Everton Gilio, o Tom, também julgado, tinha sido condenado no artigo 243, parágrafo 1º, com multa de R$ 10 mil e suspensão por 400 dias.

Na sessão desta segunda, o ex-treinador do Batatais, hoje no Patrocinense (MG), foi absolvido, assim como o ex-atleta do time. A punição ao secretário, que sempre declarou ser inocente, foi mantida. Para o técnico, “a justiça foi feita” em relação à sua absolvição.


COMENTÁRIOS

Mais Lidas no mês


Polícia

Vídeo registra acidente que feriu ciclista na avenida dos Pupins

Ciclista ultrapassava caminhão pela direita, quando veículo entrou em posto

Gente

Morre Dalva Romagnoli, ex-secretária de Educação e irmã do prefeito Zé Luís

Professora nutria paixão pela educação, religião e natureza

Batatais

Saiba quem ganhou o carro zero sorteado pela Apae Batatais

Ação promocional sorteou um Fiat Mobi

Comportamento

Maria Eduarda e Enzo Gabriel são os nomes mais registrados em 2019; veja lista com os 'líderes do ranking'

Levantamento aponta os nomes mais frequentes no Brasil e no Estado de São Paulo

Mais sobre Esporte

Esporte

Ex-jogador do Batatais está entre as vítimas fatais de queda de elevador em Santos

Eric Miguel, 19, morreu com seus pais e sua tia após equipamento despencar do nono andar de edifício

Esporte

Saiba como será a Série A-3 do Paulista após Batatais garantir presença

Clube corria o risco de não disputar devido a punição, que foi reduzida nesta segunda-feira (28)

Esporte

Após medo de rebaixamento por punição, Batatais jogará a Série A-3

Punição, que terminaria em abril, agora acaba em janeiro; ex-técnico e ex-jogador são absolvidos

Esporte

Batatais FC 100 anos: conhece a história do clube? E as conquistas? Veja aqui

Time já fez final contra o Corinthians e obteve vários acessos em sua trajetória



Copyright © 2020 - BATATAIS 24h | Todos os direitos reservados.


É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo em qualquer meio de comunicação sem prévia autorização.



Byte Livre